Poesia erótica

26
Ago 10

 

De quatro se põe a amante

E eu ante ao corpo delirante

Imponente inundo seu fosso

Renascendo em cada gozo

 

Morosos deitamos juntos

Vendo como o mundo

Moribundo soa dissonante

Comparado ao instante

Que dura pouco segundos

 

Uma explosão de delírios

Nos faz esquecer os martírios

Que nas ruínas do ser se abrigam

E edificam uma falsa certeza

De que essa coisa é de nossa natureza

 

Ah... Que bem que faz o ato

Um momento que esquecemos do fato

De que essa sociedade banal

Só nos deixou isso de nossa origem animal

 

publicado por Contos do Fritz às 13:26
Temas:

Deixo este comentário para dizer que eu realmente gosto do jeito que você escreve. é por isso que eu visito o seu blog muito. Mantê-lo!
Gros seins a 30 de Agosto de 2010 às 11:19

Vlw pelo comentário! Sou grato pelo elogio...

Abrçss
Contos do Fritz a 1 de Setembro de 2010 às 02:16

Nossa, esse poema é de arrepiar, deu até calor.....
Angelike a 4 de Setembro de 2010 às 01:19

rs rs rs... que bom que ele arrepia... Vlw pelo comentário! bj
Contos do Fritz a 8 de Setembro de 2010 às 01:20

Parabens ,gostei muito do blog voltarei sempre e convidarei amigos.tambem tenho um site no genero .www.embuscadoprazer.com.br
embuscadoprazer a 5 de Setembro de 2010 às 10:02

Vlw pelo comentário e pela indicação! vou olhar seu site.

Abrçss
Contos do Fritz a 8 de Setembro de 2010 às 01:21

Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
27
28

29
30
31


Follow DoctorFritz on Twitter
clique e ouça as poesias

pesquise
 
leia os blogs

compre os livros